sábado, 5 de novembro de 2016

Missão Possível ...

Vem participar na «Missão» do Livro Usado 2016!


Abre o Vídeo e atreve-te a cumprir a missão ... 




A Biblioteca do Agrupamento de Escolas de Ponte Da Barca vai realizar, durante a primeira semana de dezembro, a Feira do Livro Usado
A Feira do Livro Usado é uma iniciativa que permite aos alunos entregarem livros usados , durante o mês de novembro  e comprem livros que ainda não conhecem.
Os livros serão vendidos na primeira semana de dezembro a preços simbólicos, ou mesmo trocados por outros livros. 
Esta iniciativa promove o gosto pela leitura recreativa , bem como o respeito pelos livros, principalmente pelos livros usados!

segunda-feira, 23 de maio de 2016

QR CODE

 QR Code, uma da mais inovadoras tecnologias do SEC XXI, com pedras de calçada portuguesa, uma das mais antigas tradições portuguesas.
A fusão da tecnologia e da tradição histórica é uma forma inovadora de promover Portugal  e de fornecer conteúdos culturais relevantes para os turistas que visitam Lisboa.





O «Comunicar em Português» também tem o seu QR CODE: 



quarta-feira, 4 de maio de 2016

“Um conto sobre o plágio”

Este Vídeo conta um conto ...
«Um conto sobre o plágio» é  uma produção da Biblioteca da Universidade de Bergen, na Noruega. 
É preciso entender o risco do plágio, entender que quem pratica o crime de plagiar perde a oportunidade de aprender, de criar e de partilhar o que se sabe.

Atenção!! 
...  partilhar não é o mesmo que copiar ou deixar copiar...
ORA VÊ!!


Para te ensinar um pouco melhor a organizar um trabalho, convido-te a visitar esta página e a consultar alguns materiais disponíveis de apoio à construção do conhecimento: 
.... e vê:
  • Como aprender a estudar
  • Como aprender a ler
  • Como consultar um dicionário e uma gramática
  • Como fazer um trabalho
  • Como organizar a bibliografia de um trabalho
  • Como fazer citações



Para perceberes o quando este tema da literacia digital na educação é importante e precisa ser partilhado e refletido, alguns dos trabalhos realizados por colegas teus no concurso:

7 dias, 7 dicas sobre os media



Categoria 1.º/ 2.º ciclos do ensino básico

Título/ tema Reportagem: presos na rede (direitos de autor)


Categoria 3.º ciclo/ secundário

Título/ tema Dependência online: o sete invisível


quarta-feira, 20 de abril de 2016

Arquivo Virtual da Geração de Orpheu

Hoje, ao estudarmos Luís de Camões, fomos visitar Almada Negreiros ...

 (carrega nesta ligação!) ...abrimos o Arquivo...

...e...



Era uma vez
um português
de Portugal.

O nome Luís
há-de bastar
toda a nação
ouviu falar.



Estala a guerra
e Portugal
chama Luís
para embarcar.

Na guerra andou
a guerrear
e perde um olho
por Portugal.

Livre da morte
pôs-se a contar
o que sabia
de Portugal.

Dias e dias
grande pensar
juntou Luís
a recordar.
Ficou um livro
ao terminar.

muito importante
para estudar:
Ia num barco
ia no mar
e a tormenta
vá d'estalar.

Mais do que a vida
há-de guardar
o barco a pique
Luís a nadar.

Fora da água
um braço no ar
na mão o livro
há-de salvar.

Nada que nada
sempre a nadar
livro perdido
no alto mar.

- Mar ignorante
que queres roubar?
A minha vida
ou este cantar?
A vida é minha
ta posso dar
mas este livro
há-de ficar.

Estas palavras
hão-de durar
por minha vida
quero jurar.
Tira-me as forças
podes matar
a minha alma
sabe voar.

Sou português
de Portugal
depois de morto
não vou mudar.

Sou português
de Portugal
acaba a vida
e sigo igual.

Meu corpo é Terra
de Portugal
e morto é ilha
no alto mar.

Há portugueses
a navegar
por sobre as ondas
me hão-de achar.

A vida morta
aqui a boiar
mas não o livro
se há-de molhar.

Estas palavras
vão alegrar
a minha gente
de um só pensar.

À nossa terra
irão parar
lá toda a gente
há-de gostar.

Só uma coisa
vão olvidar
o seu autor
aqui a nadar.

É fado nosso
é nacional
não há portugueses
há Portugal.

Saudades tenho
mil e sem par
saudade é vida
sem se lograr.

A minha vida
vai acabar
mas estes versos
hão-de gravar.

O livro é este
é este o canto
assim se pensa
em Portugal.

Depois de pronto
faltava dar
a minha vida
para o salvar.

de Almada Negreiros ...
dito por Mário Viegas...








segunda-feira, 11 de abril de 2016

Ir ao Teatro com o Texto «Felizmente Há Luar!» de Luís de Sttau Monteiro.

   A companhia teatral Teatro Experimental do Porto (TEP) foi fundada em 1950, no Porto, mas apenas estreou o seu primeiro espetáculo a 18 de junho de 1953, no Teatro de Sá da Bandeira. 
    Ao longo do seu historial, passaram pelo TEP encenadores como Rogério Paulo, Ruy de Carvalho, Paulo Renato, Carlos Avilez, Mário Viegas e Norberto Barroca, este último diretor da companhia por ocasião do cinquentenário, juntamente com Júlio Gago. O TEP foi a primeira companhia de teatro portuguesa a atingir os 50 anos de atividade. - Via Infópédia.

    Foi nesta companhia, que os alunos do 12ºano da Escola Secundária de Ponte da Barca assistiram  a uma excelente representação da peça "Felizmente Há Luar!" de Luís de Sttau Monteiro.
      Foi no dia 17 de março, mas não esqueceremos as palavras de Matilde.



   
    O Grupo de Teatro de Amadores de Gondomar, que  também já levou a palco a peça "Felizmente Há Luar!" de Luís de Sttau Monteiro, explica na reportagem da Regiões TV, como é fazer Teatro e "vestir a pele" das personagens:





"As Três Marias" e as "Novas Cartas Portuguesas"

No dia 8 de março, na Escola Secundária de Ponte da Barca, teve lugar a inauguração da exposição “As Três Marias” e as “Novas Cartas Portuguesas” com  a apresentação de um documentário com o mesmo nome.
Tratou-se de um projeto desenvolvido pelos alunos do 12º B, no âmbito da disciplina de História A, do qual resultou este excelente vídeo que aqui apresento, por se tratar de um trabalho de excelente qualidade!





  Carrega neste Título e Lê:


«Este projecto tem por objectivo criar uma rede transcultural e internacional em torno do livro Novas Cartas Portuguesas, publicado em 1972 por Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa, dando conta da investigação desenvolvida em Portugal e em vários países ocidentais nos últimos quarenta anos em torno de Novas Cartas Portuguesas

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Dois Projetos, duas ideias, uma só missão: Não esqueceremos Fernando Pessoa!

Para quem gosta de ler aos quadradinhos...já anda por aí esta versão quadriculada do nosso Fernando Pessoa!


As Aventuras de Fernando Pessoa, Escritor Universal., em que Pessoa surge como o herói da sua própria vida.


Álvaro de Campos, O QUE É A METAFÍSICA?

 «O sentimento religioso é inteiramente irracionalizável, nem pode haver teologia, ou sociologia utópica, senão por engano ou doença. O sentimento metafísico é racionalizável, como todo o sentimento de uma coisa definida, que basta tornar‑se inteiramente definida para se tornar matéria racional, ou científica. Proponho eu, simplesmente, que a matéria da metafísica, enquanto não está inteiramente definida, e portanto em estado de se pensar, e a metafísica se tornar ciência, seja ao menos sentida, e a metafísica seja arte; visto que tudo, bom ou mau, verdadeiro ou falso, tem afinal, porque existe, um direito vital a existir.»

Álvaro de Campos, Textos Filosóficos.    http://arquivopessoa.net/textos/2735






    Agora escuta Diogo Piçarra nesta entrevista onde falou de "Diogo Piçarra em Pessoa", um projeto criativo e muito original de reinvenção e reconstrução da obra de Fernando Pessoa
    Com este livro, o artista espera despertar mais o interesse dos jovens na literatura e poesia portuguesa





(Carrega neste título e Consulta esta notícia /!/)


Diogo Piçarra em Pessoa - Diogo Piçarra, jovem cantor português, editou um livro agora em parceria com a Universidade do Minho, onde recria Fernando Pessoa.





E Se a Tua Escola Voasse até ao Futuro

«É falso que todo o conhecimento relevante esteja disponível na internet. Há informação falsa que circula como sendo verdadeira e há coisas específicas que pura e simplesmente não se encontram online. Em muitos casos, a maneira mais fácil e rápida de perceber um assunto ainda é procurar informação numa boa enciclopédia em papel ou, ainda mais fácil, ler atentamente a respectiva página do manual da disciplina


ng5998019[1]



Lê esta notícia e discute com os teus colegas esta nova visão de uma Escola «Responsável e Autónoma»


Salas de aula do futuro?

(Carrega neste título!)


sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Fernando Pessoa/Alberto Caeiro «ao vivo»


Podemos considerar a(s) Arca(s) de Fernando Pessoa como o símbolo material da sua obra, mas também podemos espreitar o seu conteúdo consultando a 




Imagina Fernando Pessoa a transformar-se em Alberto Caeiro, será que a caligrafia também sofreu transformações? 
Espreita e Pesquisa!
 http://purl.pt/1000/1/alberto-caeiro/obras/bn-acpc-e-e3/bn-acpc-e-e3_item302/index.html






sábado, 10 de outubro de 2015

WebJspell


Gostavas de ter «sempre à mão» um analisador morfológico e corrector ortográfico?





Sobre o WebJspell

O WebJspell é um serviço desenvolvido pela Linguateca e pelo projecto Natura, com o objectivo de tornar o analisador morfológico e corrector ortográfico Jspell acessível a um maior número de usuários.

Sobre o Projecto Natura

Projecto Natura é um pequeno grupo de investigação em Processamento de Linguagem Natural do Departamento de Informática, da Universidade do Minho. Faz parte de um grupo mais amplo de Processamento e Especificação de Linguagens.
Tem vindo a desenvolver vários projectos e ferramentas de onde se destacam o jSpell e respectivos dicionários da língua portuguesa.

Ter dúvidas é saber.

Ciberdúvidas - O portal de dúvidas da língua Portuguesa

...e o CIBERDÚVIDAS? Tens consultado!?



Língua à Portuguesa

Mostro-te outro sítio de consulta sobre a Língua Portuguesa....
Podes ler artigos com assuntos polémicos e quem sabe, poderás fazer furor em discussões a respeito destas matérias... Consulta e Discute!!

Ingredientes: muitos erros, bastantes dúvidas e uma mão-cheia de reflexões. Juntam-se esclarecimentos, correções e sugestões em quantidade generosa. Tudo polvilhado com bom humor. Porque queremos partilhar a nossa maneira de saborear a língua!
Já foi apanhado(a) pela língua portuguesa?

Fernando Pessoa «Autopsicografia»

Vamos estudar Fernando Pessoa!

Por vezes, desmontar o «castelo» de palavras que é o poema, torna-se tarefa para para autênticos investigadores. Felizmente encontramos sítios fantásticos que nos ajudam nessa descoberta.

Consulta esta análise do poema «Autopsicografia» e compara-a com o trabalho que desenvolvemos na aula! O que te parece!?

"Autopsicografia" - análise



quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Cantigas Medievais Galego-Portuguesas


Cantigas Medievais Galego-Portuguesas: A totalidade das cantigas dos cancioneiros galego-portugueses 

O projeto Cantigas Medievais Galego-Portuguesas, sediado no Instituto de Estudos Medievais (IEM) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa, é resultante do projeto Littera, edição, atualização e preservação do património literário medieval português, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), que decorreu entre 2007 e 2010.

As cantigas trovadorescas galego-portuguesas são um dos patrimónios mais ricos da Idade Média peninsular. Produzidas durante um período de cerca de 150 anos, genericamente entre o final do século XII a meados do século XIV, historicamente situam-se no alvor das nacionalidades ibéricas, sendo, em grande parte contemporâneas da Reconquista cristã, que nelas deixa numerosas marcas. Tendo em conta a geografia política peninsular da época, muitas vezes com fronteiras voláteis e frequentemente em luta entre si, a área cultural onde se desenvolve a arte trovadoresca galego-portuguesa (ou seja, em língua galego-portuguesa) corresponde aos reinos de Leão e Galiza, ao reino de Portugal, e ao reino de Castela (a partir de 1230 unificado com Leão).
Fonte: 
http://fcsh.unl.pt/media/reportagens/cantigas-medievais-galego-portuguesas







Este trabalho resultou num site que disponibiliza ao público a edição integral das cantigas, acompanhadas da música e dos manuscritos, permitindo um conjunto de pesquisas variado. Possibilita também uma leitura simples, uma vez que qualquer internauta pode ler a cantiga e ouvir a música, quer a original, quer as adaptações contemporâneas feitas por variadíssimos músicos e géneros de música. 


 

Iluminuras do Cancioneiro da Ajuda



Ai eu coitada, como vivo em gram cuidado
por meu amigo que hei alongado;
       muito me tarda
       o meu amigo na Guarda.

Ai eu coitada, como vivo em gram desejo
por meu amigo que tarda e nom vejo;
       muito me tarda
o meu amigo na Guarda.



.